Governo do Rio de Janeiro Rio Poupa Tempo na Web Informação Pública Página inicial
Aumentar letra    Diminuir letra    Letra normal
Compartilhe nas mídias sociais  
Home :: 10 minutos salvam vidas :: Tire suas dúvidas
Tudo o que você precisa saber sobre o Aedes aegypti. Como ele ataca e como o mosquito se comporta.

Embora na maioria das vezes as pessoas infectadas não apresentem quaisquer manifestações clínicas ou apresentem um quadro clínico autolimitado, em uma parcela da população, a infecção pode provocar uma enfermidade grave, por vezes fatal, o dengue hemorrágico/síndrome de choque do dengue (FHD/SCD). Quando o paciente é infectado pela primeira vez, diz-se que o mesmo tem uma infecção primária; quando infectado pela segunda vez, denomina-se infecção secundária.



O que é dengue?

A dengue é uma doença febril aguda. A pessoa pode adoecer quando o vírus penetra no organismo, pela picada de um mosquito infectado, o Aedes aegypti.

Onde aconteceram os primeiros sinais da dengue?

O Aedes aegypti que hoje atinge mais de 100 países, apareceu, pela primeira vez, na África. De lá para cá, visitou alguns continentes até abraçar o planeta e funcionar como uma espécie de ameaça à saúde pública mundial.

Já no século XVI, quando o mosquito aportava no continente americano, junto aos navios negreiros em plena colonização, ainda não se cogitava falar em dengue. O vírus, proveniente da Ásia, só chegaria muito tempo depois.

Os primeiros surtos de dengue foram reportados no final do século XVIII, mais especificamente entre os anos de 1779 e 1780, em Java (sudoeste asiático), na Filadélfia (Estados Unidos) e no Cairo e Alexandria (Egito). No século seguinte, quatro grandes epidemias devastaram as populações do Caribe e do sul dos Estados Unidos, que desconheciam os motivos da moléstia.

O que é zika?

A febre pelo vírus Zika é uma doença febril aguda, autolimitada, que, via de regra, não se associa a complicações graves, sem registro de mortes, e que leva a uma baixa taxa de hospitalização. Quando sintomática, a febre pelo vírus Zika causa febre baixa, exantema maculopapular, artralgia, mialgia, cefaleia, hiperemia conjuntival e, menos frequentemente, edema, odinofagia, tosse seca e alterações gastrointestinais, principalmente vômitos..

Onde aconteceram os primeiros sinais da zika?

Embora a primeira evidência de infecção humana pelo ZIKAV se remeta ao ano de 1952, a partir de amostras de soro humano do Leste da África, o ZIKAV permaneceu relativamente desconhecido até 2007, quando ocorreu um grande surto na ilha de Yap e em outras ilhas próximas dos Estados Federados da Micronésia.

O que é chikungunya?

Chikungunya caracteriza-se por uma febre de início abrupto, frequentemente acompanhada por dor articular. Outros sinais e sintomas comuns incluem dor muscular, dor de cabeça, náuseas, fadiga e erupção cutânea. A dor articular é, frequentemente, muito debilitante e, geralmente dura alguns dias. A maioria dos pacientes se recupera totalmente, mas em alguns casos as dores nas articulações podem persistir por vários meses, ou mesmo anos. Casos ocasionais com complicações oculares, neurológicas e cardíacas foram relatados, assim como queixas gastrointestinais. Muitas vezes os sintomas em indivíduos infectados são suaves e a infecção pode passar despercebida.

Por que essas doenças ocorrem no Brasil?

O Brasil, como outros países tropicais, possui condições do meio ambiente, aliadas a características urbanas, que favorecem o desenvolvimento e a proliferação do mosquito transmissor, o Aedes aegypti.

Por que, com a chegada das chuvas, aumenta a proliferação da dengue, da chikungunya e da zika?

Os ovos do Aedes aegypti, o mosquito transmissor destas doenças, não são postos na água e, sim, milímetros acima de sua superfície, em recipientes tais como latas e garrafas, pneus, calhas, caixas d'água descobertas, pratos de vasos de plantas ou qualquer outro que possa armazenar água. Quando chove, o nível da água sobe, entra em contato com os ovos que eclodem em pouco mais de 30 minutos. Em um período que varia entre cinco e sete dias, a larva passa por quatro fases até dar origem a um novo mosquito. Além disso, com a chegada das chuvas tem-se o aumento da umidade relativa do ar, condição climática que potencializa o desenvolvimento da larva.

Qual o impacto do aquecimento global para a proliferação da dengue, da chikungunya e da zika?

As mudanças climáticas causadas pelo aquecimento global podem impactar a saúde da população. Com a elevação da temperatura, estados que ainda não têm problemas com estas doenças passam a reunir as condições climáticas propícias ao desenvolvimento do mosquito, gerando mais casos.

É só o Aedes aegypti o mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika?

Dengue, chikungunya e zika podem ser transmitidas por duas espécies de mosquitos (Aedes aegypti e Aedes albopictus), que picam tanto durante o dia como à noite. Os transmissores, principalmente o Aedes aegypti, se reproduzem dentro ou nas proximidades de habitações, em recipientes onde se acumula água limpa (vasos de plantas, pneus velhos, cisternas etc.).

Só á fêmea do mosquito é responsável pela transmissão?

Sim. A fêmea do mosquito pica a pessoa infectada, mantém o vírus em sua saliva e o retransmite em novas picadas. A transmissão ocorre pelo ciclo homem-Aedes aegypti-homem. Após a ingestão de sangue infectado pelo inseto fêmea, transcorre nesta fêmea um período de incubação. Após esse período, o mosquito torna-se apto a transmitir o vírus e assim permanece durante toda a vida. O mosquito transmitirá o vírus em todas as picadas que realizar a partir dali.

Onde o Aedes aegypti gosta de ficar?

O Aedes aegypti é um mosquito caseiro. Prefere ficar em áreas fechadas e atacar na região das pernas, embaixo das mesas, próximo ao chão.

Qual das condições climáticas favorece o desenvolvimento do mosquito?

A fêmea do mosquito não deposita seus ovos diretamente na água, mas na parede do vasilhame, alguns milímetros acima da água. Sendo assim, se não chove, consequentemente o menor reabastecimento dos recipientes onde a fêmea deixou seus ovos não permite que a água suba a uma altura suficiente para nutri-los. Já se a concentração de chuva é muito alta, os criadouros do mosquito são destruídos pela força da água. Portanto, são as chuvas intermitentes e a produção de água parada as condições ideais para a proliferação da dengue, chikungunya e zika.

Que ambiente favorece a proliferação do vetor?

O Aedes aegypti se caracteriza por ser um inseto de comportamento estritamente urbano, sendo raro encontrar amostras de seus ovos ou larvas em reservatórios de água nas matas. As fêmeas e os machos do mosquito costumam se alojar no interior das casas. A temperatura mais favorável para o desenvolvimento da larva é entre 25 a 30ºC. Abaixo e acima destas temperaturas o Aedes diminui sua atividade. Acima de 42ºC e abaixo de 5ºC ele morre. A alta da temperatura e da umidade relativa são condições favoráveis para o desenvolvimento do mosquito e, principalmente, para manter os ovos viáveis mesmo fora d'água.

Quanto tempo vive a fêmea do mosquito e qual o seu potencial de procriação?

Em média, cada Aedes aegypti vive em torno de 30 dias e a fêmea chega a colocar entre 150 e 200 ovos de cada vez. Ela é capaz de realizar inúmeras posturas no decorrer de sua vida, já que copula com o macho uma única vez, armazenando os espermatozóides em suas espermatecas (reservatórios presentes dentro do aparelho reprodutor). Uma vez com o vírus, a fêmea torna-se vetor permanente da doença e calcula-se que haja uma probabilidade entre 30 e 40% de chances de suas crias já nascerem também infectadas.

Existe vacina contra dengue, chikungunya e zika?

Ainda não. Mas existem alguns estudos em andamento para desenvolvimento de uma vacina contra a dengue.

Posso usar repelentes corporais?

Pode, mas com cautela. Aqueles que contêm DEET formam uma camada protetora sobre a pele. Alguns repelentes têm MGK e PVO, que são substâncias que potencializam os efeitos dos repelentes, e devem ser usados com moderação. Não é recomendado para crianças com menos de seis anos. Repelentes corporais podem causar reações alérgicas na pele. Em crianças, usar apenas os repelentes indicados para elas.

Posso usar inseticidas diariamente contra o Aedes?

Pode. A maioria dos aerossóis domésticos possui piretróide que, segundo alguns especialistas, é uma substância menos tóxica para as pessoas. De qualquer maneira, os inseticidas não devem ser borrifados diretamente em pessoas, animais ou plantas. Esta é, entretanto, uma medida paliativa. A eliminação de possíveis fontes de água parada que podem servir como criadouros do mosquito ainda é a principal estratégia.

O fumacê é uma estratégia eficaz para a eliminação do Aedes aegypti? Por que seu uso é tão polêmico?

Na verdade, essa é uma estratégia usada para minimizar o impacto da transmissão e não para eliminar o mosquito. Sua eficácia varia muito, pois depende das condições ambientais nas quais o método está sendo utilizado. Então, por exemplo, em locais em que se verificam casas com muros altos ou onde a população não abre as portas, sua eficácia será limitada.

O produto atinge o mosquito adulto apenas se estiver voando, o que pressupõe que terá contato com as partículas de inseticida, que provocarão a sua morte. Isso, na prática, representa uma parcela muito pequena da população de mosquitos circulando. Ressaltamos que o ideal é o controle das formas larvárias, ou seja, o controle dos criadouros ao longo do ano.

Quais os principais cuidados para não contrair dengue, chikungunya e zika?

É preciso identificar objetos que possam se transformar em criadouros do Aedes. Por exemplo, uma bacia no pátio de uma casa é um risco, porque, com o acúmulo da água da chuva, a fêmea do mosquito poderá depositar os ovos nesse local. Então, o único modo é limpar e retirar tudo o que possa acumular água e oferecer risco. Em 90% dos casos, o foco do mosquito está nas residências.

Como combater a dengue, a chikungunya e a zika?

O melhor meio de evitar as doenças é controlar a presença do mosquito transmissor, o que se faz, sobretudo, evitando-se água parada em recipientes como vasos de plantas, pneus velhos, caixas d'água, garrafas, entre outros. O cuidado deve se estender, inclusive, a locais aparentemente improváveis, como muros de casas que guardam em suas reentrâncias qualquer umidade. A prevenção deve ser realizada durante todo o ano e não apenas no verão, quando as condições climáticas são mais favoráveis à proliferação do mosquito.

Espera-se que toda a população ajude nesse trabalho. A mobilização social é a mais poderosa estratégia contra as doenças. Os serviços de Vigilância em Saúde também fazem a sua parte, visitando as casas, verificando possíveis focos do inseto e ensinando às pessoas a importância dessas medidas.

Quanto tempo o ovo resiste até eclodir?

Os ovos sobrevivem a condições adversas por mais de um ano, para eclodir somente nas primeiras chuvas do verão seguinte.

As larvas do mosquito se desenvolvem apenas em água limpa?

Não. Tanto limpa quanto contaminada, a água possui os nutrientes necessários para o desenvolvimento do ciclo biológico do Aedes aegypti.

O que fazer se encontrar foco com larvas de mosquito em casa?

É preciso eliminar o criadouro. Se ele estiver com água e larvas, pode-se descartar a água no solo, em terra, ou em piso que não acumule água, porque ela secará e, desta forma, as larvas morrerão.

Os aquários também são criadouros do Aedes?

Não, se houver peixes. As larvas dos mosquitos são o prato preferido dos peixes.

Plantas aquáticas podem funcionar como criadouros da dengue, chikungunya e zika?

Sim e, por isso, não é recomendável o seu cultivo, pois qualquer sinal de água parada pode significar foco de Aedes aegypti. Caso, ainda assim, se opte por este tipo de planta, trocar a água dos vasos e lavá-los com escova, água e sabão pelo menos uma vez por semana.

Vasos sanitários pouco utilizados podem promover a proliferação do mosquito? O que fazer?

Vasos sanitários podem ser potenciais criadouros do mosquito. Utilize um escovão e produtos de limpeza, certificando-se de que possíveis ovos sejam removidos das paredes do vaso. Realize esta limpeza semanalmente, deixando sua tampa sempre fechada. Em banheiros pouco usados, dê descarga uma vez por semana, para não deixar por muito tempo água parada. Use água sanitária com frequência em qualquer grande reserva de água sem consumo humano.

O Aedes também se desenvolve em piscinas?

Só em água de piscinas abandonadas. Se a água for tratada, com pH adequado e clorada de forma regular, não há qualquer risco de desenvolvimento de larvas do Aedes. É recomendável limpar as bordas das piscinas periodicamente, pois podem servir como depósito para ovos do mosquito.

O acúmulo de lixo tem relação com a dengue,a chikungunya e a zika?

O montante de lixo retorna à população sob a forma de doenças como dengue, chikungunya e zika. Um dos focos mais frequentes de reprodução do Aedes aegypti é aquele provocado pelo acúmulo de lixo, o que se aplica tanto para resíduos mal acondicionados, jogados em terrenos baldios ou para os não recolhidos. Esse lixo tem a possibilidade de acumular água e, se não for tratado convenientemente ou recolhido, permanecerá no meio ambiente por bastante tempo, suficiente, inclusive, para funcionar como criadouro para todo o ciclo de reprodução do mosquito.

Água sanitária e fumo de rolo têm ação sobre os focos?

Não existe comprovação da eficácia. É prudente não confiar.

Quais são os sintomas da dengue?

Os mais comuns são febre, dores no corpo, principalmente nas articulações, e dor de cabeça. Também podem aparecer manchas vermelhas pelo corpo e, em alguns casos, sangramento, mais comum na gengiva.

Quais são os sintomas da chikungunya?

Chikungunya também caracteriza-se por uma febre de início abrupto, frequentemente acompanhada por dor articular. Outros sinais e sintomas comuns incluem dor muscular, dor de cabeça, náuseas, fadiga e erupção cutânea. A dor articular é, frequentemente, muito debilitante e, geralmente dura alguns dias. A maioria dos pacientes se recupera totalmente, mas em alguns casos as dores nas articulações podem persistir por vários meses, ou mesmo anos. Casos ocasionais com complicações oculares, neurológicas e cardíacas foram relatados, assim como queixas gastrointestinais. Muitas vezes os sintomas em indivíduos infectados são suaves e a infecção pode passar despercebida.

Quais são os sintomas da zika?

A febre pelo vírus Zika é uma doença febril aguda, autolimitada, que, via de regra, não se associa a complicações graves, sem registro de mortes, e que leva a uma baixa taxa de hospitalização. Quando sintomática, a febre pelo vírus Zika causa febre baixa, exantema maculopapular, artralgia, mialgia, cefaleia, hiperemia conjuntival e, menos frequentemente, edema, odinofagia, tosse seca e alterações gastrointestinais, principalmente vômitos.

O que fazer em suspeita de dengue, chikungunya ou zika?

Ao ser observado os primeiros sintomas de dengue, chikungunya ou zika, deve-se buscar orientação médica no posto de saúde mais próximo.

Em que consiste o tratamento da dengue, da chikungunya e da zika?

O tratamento da dengue, na grande maioria das vezes, é de suporte, ou seja, alívio dos sintomas, reposição de líquidos perdidos e manutenção da atividade sanguínea.

Se o paciente apresenta um sangramento grave, ele deve receber tratamento específico em um hospital. Não se deve usar ácido acetilsalicílico (presente em medicamentos como a "Aspirina") para diminuir a febre ou a dor em pacientes com suspeita de dengue.

No caso da chikungunya, também não há tratamento específico. O tratamento é direcionado principalmente para aliviar os sintomas, incluindo a dor nas articulações com antipiréticos e analgésicos.

O mesmo acontece com a zika, que não tem tratamento específico. O tratamento recomendado para os casos sintomáticos é baseado no uso de acetaminofeno (paracetamol) ou dipirona para o controle da febre e manejo da dor. No caso de erupções pruriginosas, os anti-histamínicos podem ser considerados. Não se recomenda o uso de ácido acetilsalicílico e outros anti-inflamatórios, em função do risco aumentado de complicações hemorrágicas descritas nas infecções por outros flavivírus.


Denúncia de focos



As secretarias Municipais de Saúde são as responsáveis pelo combate direto ao mosquito.

Clique aqui e veja como entrar em contato com a secretaria de sua cidade.
Acompanhe o Rio Contra Dengue nas mídias sociais

Facebook Twitter Youtube
Secretaria de saúde
Links interessantes:
PET Rio sem fumo Rio imagem Rio com Saúde Xô, Zika !!


Alguns direitos reservados
Esta obra é licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil